was successfully added to your cart.
Category

Conhecimento

Fotografia: A Arte Criativa

By | Composição Fotográfica, Conhecimento, Criatividade, Criatividade e o Olhar na Fotografia, Curso de Composição Fotográfica, Curso de Criatividade, Curso de Fotografia, Fine Art | No Comments

A Fotografia não é como os esportes, que possuem regras bem definidas do que pode ou não pode ser feito. Talvez por isso é que possamos chamar a Fotografia de “Arte Criativa” como aborda Rob Sheppard.

Tudo bem que a maior parte das pessoas sentem-se seguras ao seguirem regras bem definidas e limites bem demarcados. Percebo isso também nas salas de aula. Quando deixamos as pessoas livres elas tendem a se sentirem-se perdidas, confusas e sem ação. É preciso estar preparado para quebrar as regras com propriedade.

Captured by E.Trauer || 一期一会

Em sintonia com a Lua – Etrauer.com Creative Photo Studios || 一期一会

Os esportes precisam ter regras, caso contrário – como envolve uma disputa – as discussões seriam infindáveis. Imaginem só se já nos deparamos com discussões existindo regras – e “a regra é clara“, se não houvessem regras bem estipuladas seria realmente uma baderna.

Já na Fotografia, esta Arte Criativa é diferente. Existem sim regras e talvez a mais conhecida por quem já tem algum conhecimento mais aprofundado sobre a Fotografia venha a ser a famosa “Regra dos Terços”, que direciona você  a pensar em em como é que a cena que você está vendo será convertida em uma imagem com “pontos de ouro” – aqueles lugares que teoricamente estão localizados nos principais pontos de interesse da imagem capturada. Sim, a “regra dos terços” é uma simplificação da “Razão Áurea”. A descoberta da Proporção Áurea, segundo Ernesto Tarnoczy, “deve-se aos gregos, mais precisamente à escola pitagórica. Os matemáticos dessa escola descobriram que a divisão de um segmento de reta em duas partes tais que a proporção entre elas fosse a mais harmoniosa, seria o número 1,618033. Quem utilizou largamente essa proporção foi o escultor Fídias, responsável pela construção do Parthenon. Essa razão recebeu o nome de Phi”. (Tarnoczy, 2008) Ernesto tem 2 livros Publicados – Volume 1 e Volume 2 de Composição Fotográfica e 1 DVD sobre este tema.

Parte integrante do Material Didático Profissional do Curso Criatividade e o Olhar na Fotografia

Parte integrante do Material Didático Profissional do Curso Criatividade e o Olhar na Fotografia

Tanto a Razão Áurea quanto a Regra dos Terços nos auxiliam a estabelecer uma Composição Fotográfica mais forte e harmoniosa, contribuindo com o pensar direcionado no que nós queremos enfatizar na nossa fotografia e no que desejamos comunicar em relação ao que estamos fotografando. Por que imaginamos que teremos uma boa fotografia com determinada cena? O que queremos dizer, comunicar com esta imagem?

Página integrante do Material Didático Profissional do Curso Criatividade e o Olhar na Fotografia

Página integrante do Material Didático Profissional do Curso Criatividade e o Olhar na Fotografia

A parte boa da “Regra dos Terços” é que ela auxilia a retirar o objeto principal do centro da imagem e a posicioná-lo em locais clássicos onde os principais artistas de nosso mundo estudaram muito para descobrir que estes pontos despertam um interesse forte nos observadores. A parte ruim é que no momento em que muitas pessoas descobrem a “Regra dos Terços”, praticamente todas elas direcionam as suas capturas de imagens fazendo uso absoluto desta “regra”, e as fotografias começam a ficar muito parecidas, fazendo com que a SUA identidade se perca no meio de tantas imagens. Uma outra informação relevante está relacionada a própria formação do nosso mundo que nem sempre segue a esta regra de acordo com a composição que você está escolhendo e, se você como fotógrafo forçar a “Regra dos Terços” poderá ter como resposta uma composição sem força, sem uma história clara ao observador.

[google1]

A grande maioria das pessoas que fotografam colocam – talvez por facilidade – o objeto principal centralizado na fotografia, fazendo com que o mesmo não tenha nenhuma ou pouquíssima relação com todo o cenário ao seu redor (faça uma rápida busca pelas fotos no Facebook, por exemplo, e confirme esta afirmação). A fotografia não conta uma história, não há sincronia de informações. O objeto principal assume uma diferença considerável se colocado no centro da fotografia, no canto superior direito ou esquerdo ou nos cantos inferiores esquerdo ou direito. É preciso pensar no que desejamos que esta imagem venha a comunicar, que venha a ser uma Fotografia Criativa, e este é o principal tópico abordado em Criatividade e o Olhar na Fotografia, um curso inédito no Brasil que terá a sua primeira edição de 2014 no dia 15 de março em Florianópolis.

Horizontes - Captured by E.Trauer || 一期一会

Horizontes – Captured by E.Trauer || 一期一会

O Clicio Barroso – profissional referência em Fotografia no Brasil e no Mundo, autor de excelentes Livros envolvendo Photoshop e Lightroom – escreveu recentemente em seu perfil no Facebook um belo texto para reflexão que transcrevo aqui porque não é possível “linkar” para um post específico do Facebook:

A fotografia morreu. 
Viva a fotografia!
Todas, mas todas as categorias de fotografia chamadas técnicas ou aplicadas, estão com seus dias contados. A exemplo do que aconteceu com a publicitária, categorias como a documental, de catalogação, aerofotogrametrista, científica, policial, não são mais eficientes sem automação e máquinas inteligentes. Google faz, por exemplo, a maior operação de catalogação e documentação da história, inclusive aérea, e sem fotógrafos. GoPros podem acompanhar autópsias junto com mini-câmeras endoscopistas, controladas por pequenos robôs. Anunciantes de produtos como automóveis preferem a realidade do 3D à inconsistência e humores de fotógrafos. 
Câmeras são muito mais bem preparadas tecnicamente que pessoas, e questões como fotometria e profundidade de campo já estão resolvidas de fábrica. Faz muito mais sentido usar o dial “P” de profissional que o “M” de mané.
A boa notícia é que câmeras não se emocionam, não interpretam anseios, sonhos ou incongruências sociais; pessoas sim.
A única fotografia possível, portanto, é a pensada, a emocionada, a apaixonada; a fotografia técnica só precisou existir enquanto aprendia a andar com as próprias pernas.Clicio Barroso Filho

Fuscão Preto - Captured by E.Trauer || 一期一会

Fuscão Preto – Captured by E.Trauer || 一期一会

Para Fotografar, é preciso saber Pensar, é preciso se permitir Emocionar, é preciso saber Sonhar e Capturar este Sonho, esta Arte Criativa.

Você encontra informações sobre sobre o Curso Criatividade e o Olhar na Fotografia no Post “Você faz uso da sua Criatividade?” As vagas são limitadas e as inscrições já estão abertas.

etrauer.com Creative Photo Studios || 一期一会

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Gaya e Marta Brancher – etrauer.com Creative Photo Studios || 一期一会

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Surpresa! – etrauer.com Creative Photo Studios || 一期一会

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Camylla Vitório para Maria Catarina 2013 – etrauer.com Creative Photo Studios || 一期一会

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Sunset – São José SC – etrauer.com Creative Photo Studios || 一期一会

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Cidade a Venda – etrauer.com Creative Photo Studios || 一期一会

 

Somos Todos Fotógrafos sem Câmeras

By | Composição Fotográfica, Conhecimento, Criatividade, Criatividade e o Olhar na Fotografia, Curso de Composição Fotográfica, Curso de Criatividade, Curso de Fotografia, Cursos, Fotografia, Momento Decisivo, Natureza Urbana, Photo | No Comments

“Fotografamos” com nossos sentidos diariamente tudo o que vemos e percebemos, em absolutamente todos os instantes. E o que acontece é bem semelhante ao que estamos vivendo na era da tecnologia digital. Há apenas alguns anos atrás ao fotografarmos com filmes a adrenalina tomava conta do nosso ser até que os mesmos fossem revelados. Lembro-me quando criança que ao finalizar as 12, 24 ou 36 poses – e ficava feliz quando ganhava 1 ou 2 poses extras -, contava as horas até que as fotos fossem reveladas e curtia uma a uma, incansavelmente.

Hoje as pessoas disparam cliques como se fosse uma metralhadora, megas e mais megas de arquivos digitais são guardados e esquecidos em hard disks, pendrives e nos mais diversos tipos de memórias digitais. A adrenalina foi dissipada proporcionalmente ao número de fotografias digitais tiradas e a nossa mente acostumou-se a pensar menos a cada imagem produzida. É claro que existem exceções como em todas as regras, mas estamos nos portando de uma forma muito parecida.

Natureza Urbana no Morro das Pedras - Florianópolis  || Captured by E.Trauer  || 一期一会

Natureza Urbana no Morro das Pedras – Florianópolis || Captured by E.Trauer || 一期一会

Nossos olhos e demais sentidos captam as vibrações que nos cercam 24/7 dos nossos tempos, mas captam de forma intensa e não necessariamente perceptiva e atenta. Vemos tudo e ao mesmo tempo não enxergamos nada. É quase como o decorar para uma prova no colégio, na universidade ou para concursos. Regurgitamos tudo que está gravado superficialmente em nossas mentes para sempre sem termos a capacidade de lembrarmos alguns minutos após entregar a avaliação. As idéias não foram processadas, não foram pensadas, não foram correlacionadas.

[google1]  agradeço a sua indicação para o google +1. Nesta rede virtual, share is the word! O google +1 ajuda nas pesquisas de assuntos do Google.

Nossos olhos são como câmeras fotográficas, vemos em uma estrutura de composição imagética que pode ser potencializada em detalhes, pode ser ampla ou restrita, pode ser complexa, difusa ou minimalista. Pode contar uma história mas pode também estar completamente poluída com signos, cores e pesos desequilibrados que somente contribuem para aumentar o estresse do dia-a-dia. Somos todos Fotógrafos sem câmeras, mas com olhos, com sentidos e com uma mente poderosa para pensar.

Ruas e Folhas || Captured by E.Trauer  || 一期一会

Ruas e Folhas || Captured by E.Trauer || 一期一会

Você já parou alguma vez para pensar desta forma? Experimente agora pelos próximos 3 minutos, não irá tomar muito tempo do seu dia. Feche seus olhos agora e busque lembrar do que foi visto no dia de hoje até este momento, que informações poderão contribuir para o aumento da sensibilidade criativa nos projetos pelos quais estás envolvido em qualquer área de atuação profissional? Agora, respire fundo busque olhar sem compromisso ao seu redor pelos próximos 3 minutos, observe e faça uso de todos os sentidos possíveis, sinta o aroma, perceba as cores, os sons, a temperatura, as texturas, comece observando o macro de depois passe para o microcosmo, faça o inverso isolando partes do seu campo visual. É um exercício bastante simples de registro, de captação de informações e sentimentos.

Úmida de Amor || Captured by E.Trauer  || 一期一会

Úmida de Amor || Captured by E.Trauer || 一期一会

Este exercício pode ser aprimorado com algumas técnicas de percepção e também fazendo uso da Composição Fotográfica, mesmo sem o equipamento fotográfico em mãos.

Ansel Adams já afirmava que a nossa fotografia é um somatório de tudo o que vivemos, dos filmes que assistimos, das viagens que fizemos, dos livros que lemos, das músicas que ouvimos …  …. e esta é a proposta do dia em que vivenciamos a Criatividade e o Olhar na Fotografia. As técnicas e os exercícios que fazem uso da Fotografia como Ferramenta de Aprendizagem podem ser direcionadas – e são – para que as nossas imagens venham a ser mais pensadas, mais fortes e presentes, com uma história dentro de seus frames, mas também utilizamos esta percepção contínua no desenvolvimento de melhores projetos, de idéias mais criativas, da percepção do sentimento das pessoas que nos rodeiam, como na expressão Zulu que inspirou Peter Senge a escrever o clássico “A Quinta Disciplina“: “Umuntu Ngumuntu Ngabantu” que traduzindo temos: “Uma pessoa só é uma pessoa por causa das outras pessoas”. É como uma filosofia da Tribo Zulu, simples e forte – #SimplesAssim.

Gaivota na Barra da Lagoa || Captured by E.Trauer || 一期一会

Criatividade e o Olhar na Fotografia terá sua primeira Edição de 2014 no próximo dia 15 de março em Florianópolis e tem vagas limitadíssimas com não mais do que 12 participantes e um deles pode ser você!

Veja o roteiro em Você faz uso da sua Criatividade? e formalize agora a sua inscrição. 2013 foi o ano do lançamento desta modalidade e tivemos 3 turmas que você pode conferir neste álbum da FanPage.

Folhas … Folhas … | Captured by E.Trauer || 一期一会

Kss and hugs, nos vemos lá!

 

Faça já a sua inscrição!

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Natureza Urbana || Captured by E.Trauer || 一期一会

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Ponte D’Oro 01 || Esta Fotografia Fine Art pode ser sua. Série numerada e assinada disponível para aquisição.

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Salva Vidas || Captured by E.Trauer || 一期一会

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Good Luck || Captured by E.Trauer || 一期一会

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Vida após a morte || Captured by E.Trauer || 一期一会

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Good Luck II – Captured by E.Trauer || 一期一会

Você faz uso da sua Criatividade?

By | Composição Fotográfica, Conhecimento, Criatividade, Criatividade e o Olhar na Fotografia, Curso de Composição Fotográfica, Curso de Criatividade, Curso de Fotografia, Cursos, Marketing, Photo | No Comments

A resposta para a pergunta: Você faz uso da sua criatividade? muitas vezes traz uma afirmação sufocada pela DESeducação Linear pela qual somos submetidos em nosso mundo ocidental.

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Reflexão – Captured by E.Trauer || 一期一会

Nascemos com um enorme Potencial Criativo e Perceptivo e, a partir do momento em que começamos a absorver as informações do mundo ao nosso redor, dependendo da percepção de quem convive conosco, inicia um processo de desaceleração da curiosidade que é potencializado ao frequentar as escolas, escolas estas que podem fazer uso de técnicas voltadas as respostas prontas, as fórmulas prontas, ao decorar em prol do aprender.

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Ponte D’Oro 01 – Captured by E.Trauer || 一期一会 || Série Fine Art que pode ser adquirida para a sua residência e/ou escritório

A Criatividade é uma habilidade/percepção que sempre pode ser exercitada e, como nossos músculos, quanto mais exercitada, melhor ela se torna. Pensando nestas informações e convivendo com esta realidade que surgiu – aliado à Fotografia o Curso “Criatividade e o Olhar na Fotografia”, onde em apenas 1 dia trabalhamos técnicas e exercícios que vem ao encontro do Fortalecimento da Percepção da Criatividade fazendo uso da Fotografia como Ferramenta de Aprendizagem observando a simplicidade do mundo que nos cerca todos os dias.

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Amanhecer no Parque São Jorge em Florianópolis

Neste ponto eu pergunto: Você gosta de fotografar? Qual foi a última vez que você tirou uma fotografia? sim, pode ser com o Celular – e neste curso você pode fazer com o Celular, pois a única exigência é ter um dispositivo que capte digitalmente uma fotografia. Não precisa ter nenhuma experiência com a fotografia, não precisa ter equipamentos profissionais de fotografia, basta gostar de fotografar.

Passamos esta dia dividido em 5 etapas, sendo 2 delas em saídas práticas para fotografar e as demais abordando maneiras pelas quais podemos Resgatar e Potencializar a Criatividade quem temos dentro de nós, conhecer técnicas de Composição Fotográfica que irão certamente influenciar positivamente nas Fotografias que você gosta de tirar e terminamos com uma reflexão sobre algumas das Fotografias que a turma captou durante o dia.

Em 2013 – ano do lançamento de Criatividade e o Olhar na Fotografia – tivemos 3 edições em Florianópolis e neste ano de 2014 a primeira data já está marcada: Será no sábado, 15 de março, no Recanto Champagnat – Lagoa da Conceição, um local maravilhoso e rodeado pela Mata Atlântica!

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Macaco Prego na Mata Atlântica

E tem mais: o Almoço Caseiro está incluído nesta Edição, os 2 coffee breaks estão incluídos, e o Material Didático Profissional  também está incluído no valor especial para esta Edição de Criatividade e o Olhar na Fotografia, que é de R$ 480,00.

O grupo é bastante seleto: Apenas 12 participantes no totale algumas das vagas já estão preenchidas. Veja só a programação abaixo:

  1.  Abertura
  2. Saída Fotográfica 1
  3. Criatividade
    • Habilidade de ver o comum e perceber o inusitado, o fantástico, o extraordinário
    • Todas as ações podem ser criativas
    • Criatividade é uma questão de perspectiva
    • Sempre teremos mais do que uma resposta correta
    • Transformar problemas em oportunidades
    • Não tenha medo de errar
  4. Coffee Break
    • Quebre os padrões
    • Exercite sua técnica
    • Você terá o que você desejar
  5. Composição Fotográfica
    • Movimento
    • Equilíbrio
    • Ritmo
    • Movimento, Equilíbrio e Ritmo
  6. Almoço – Incluído no valor desta edição do curso
    • Diversidade e Unicidade
    • Diálogo
    • Diagonal
    • Primeiro Plano
    • Perspectiva
    • Razão Áurea
    • Razão Áurea e a Regra dos Terços
    • Controle da Luz
      • Luz Suave
      • Luz Dura
      • Luz Difusa
    • Momento Decisivo
    • Exposição
  7. Coffee Break
  8. Saída Fotográfica II
  9. Análise das Fotografias
  10. Encerramento e entrega dos Certificados de Participação

A esta altura você deve estar se perguntando: Nossa, quanto conteúdo!!! Sim, tem bastante informação, e trabalhamos em um ambiente descontraído e fazendo o que gostamos de fazer: Fotografando, Sorrindo, Analisando Fotografias, Descobrindo novos Potenciais que podem – e devem – ser utilizados em nossas atividades do dia a dia, no trabalho, no desenvolvimento de projetos, na liderança de equipes, nos estudos, nas viagens e passeios. A Criatividade sempre engrandecerá toda e qualquer atividade que estejamos envolvidos.

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Cão Guia em momentos de reflexão

Se você chegou até aqui, é porque Criatividade e o Olhar na Fotografia também foi estruturado para você!

As vagas são preenchidas de acordo com as Inscrições que devem ser antecipadas:

Maiores informações através do Email: nonworkshop@etrauer.com

O pagamento pode ser feito em  através de depósito bancário no valor de R$ 480,00

Eduardo Trauer
Banco: Itaú – 341
Ag. 3759
CC: 10963-4

Encaminhar o comprovante por Email com seu Nome Completo, Telefone para Contato e, obviamente: seu Email para contato. Pode ser feito preenchendo o formulário no final deste Post.

[google1]

 

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Bolshoi em Florianópolis

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Luz Suave no Amanhecer

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Vossa Magestade: A Lua

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Gaivota em vôo magistral

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Nevoeiro na Mata Atlântica

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Sonhos de Criança

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Marta Brancher e a Gaya em dia de Festa

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Macaco Prego e suas Bananas

Captured by E.Trauer  || 一期一会

Pássaro e a Natureza Urbana em Florianópolis

Para maiores informações você pode preencher o formulário e terei o maior prazer em responder!

 

Fotografia e História

By | Conhecimento, Criatividade, Curso de Composição Fotográfica, Eventos, Photo | No Comments

Todas as fotografias apresentam uma forma de comunicação com maior ou menor intensidade. O interessante é que esta imagem tenha o potencial para contar uma história que seja diferenciada.

A força desta história é resultante da combinação entre a técnica e a percepção emocional e estética do fotógrafo. É bem fácil perceber as diferenças com um simples exercício de observação das mais diversas fotografias publicadas na própria Internet e, para facilitar ainda mais, no próprio Facebook por seus milhares de participantes.

Busque aleatoriamente as fotografias publicadas, fotografias de aniversários infantis por exemplo e observe aquelas que mais mexem com a sua emoção, que melhor aguçam a criatividade ao buscar imaginar o que estava acontecendo no momento. Você irá perceber facilmente um inúmero conjunto de semelhanças por estilos diferentes. Existem aqueles em que as imagens parecem posadas, aqueles nos quais a maior parte das informações estão centralizadas, aqueles que buscam detalhes de expressões, outros que fazem bom uso de técnicas de Composição Fotográfica aliadas à emoção, trazendo intensidade positiva na história que é contada através das imagens.

Agregar estas informações em nossas escolhas diárias permitem uma maior segurança na contratação dos serviços fotográficos, por exemplo e exercitar estas técnicas também aguçam e desenvolvem o nosso próprio potencial criativo, é um exercício simples e gratuito, disponível 24 horas por dia às pessoas que estejam predispostas a fazê-lo.

Convido você a realizar este exercício, um ótimo dia e até breve!

 

etrauer.com Creative StudiosCaptured by Eduardo Trauer

Sabedoria ao utilizar o Cubo de Mercado

By | Conhecimento, Criatividade, Cubo de Mercado, Cubo de Mercado, Marketing | No Comments

A ferramenta estratégica Cubo de Mercado, que já foi apresentada aqui no Blog, é relativamente simples de ser trabalhada e muito interessante porque não depende de um investimento elevado para seu desenvolvimento, podendo assim ser utilizada por micro e pequenos empreendedores.

Tanto os Eixos de Oferta quanto de Mercado devem ser desenvolvidos em paralelo, onde a cada nova informação a relação entre ambos é fortalecida. Para as idéias novas, que estarão explícitas no Eixo da Oferta [composto por Idéias, Serviços e Bens] seu fortalecimento e desenvolvimento se dará a partir das considerações feitas pelas descobertas das características informacionais dos consumidores integram o Eixo do Mercado [Consumidores, Necessidades e Satisfações].

Desenvolver as informações sobre os consumidores Não é somente citar que os mesmos integram determinadas Classes Sócio-Econômicas, mas principalmente descrever seus comportamentos, suas informações psicográficas, atitudes, hábitos e emoções. Desta forma somos direcionados ao conhecimento mais aprofundado de um segmento em potencial que, quando relacionado à idéia do Eixo da Oferta, possibilitará novas descobertas e hipóteses relacionadas à Satisfação de Necessidades relacionadas o novo Bem ofertado. Quando uma Necessidade é suprida, as pessoas tendem a ter, sentir e esboçar Satisfação e é este sentimento que será descrito no Eixo da Satisfação.

Percebam como o processo é integrado e completamente interdependente. Agora, para o melhor desenvolvimento desta Ferramenta Estratégica, é fundamental que o(a) usuário desenvolva o mesmo com Sabedoria e Criatividade.

Não existem fórmulas prontas. Bom trabalho!

Cubo de Mercado – Introdução

By | Conhecimento, Cubo de Mercado, Cubo de Mercado, Marketing, Photo | One Comment

Uma das melhores ferramentas mercadológicas que utilizo é o chamado “Cubo de Mercado“, muito bem abordado por Rafael Sampaio e Marcos Felipe Magalhães em seu livro Planejamento de Marketing da Editora Pearson.

Como gosto muito de entender e explicar marketing através da evolução das sociedades, geralmente inicio o raciocínio em aproximadamente 470 aC na até então conhecida origem da Retórica em Siracusa [Sicília] com Corax e Tisias no convencimento dos juízes populares acerca dos bens confiscados por soldados mercenários e seguimos até os dias de hoje.

Porém é interessante também pensar no momento em que os homens das cavernas iniciaram seus processos de trocas visando alimento e proteção através ‘roupas’, a base das relações que temos hodiernamente pelos valores monetários [$] e também um alicerce da conhecida mas não tão bem interpretada por todos Piramide de Maslow.

Seguindo o raciocínio de Sampaio, “o Marketing tem, necessariamente, de ser EntendidoPensadoPlanejadoExecutado a partir da perspectiva de uma série de quatro ‘Sistemas de Mercado‘: CivilizaçãoSociedadeEconomiaUniverso Empresarial.”

Sistema Antropológico está diretamente conectado com a herança histórica do local em questão, seja ele país, região, área ou mercado em que as ações mercadológicas estarão agindo e e provém da própria estrutura da civilização.

Já o Sistema da Sociedade, como o próprio nome denota, engloba as “particularidades e as relações dos estamentos que constituem um grupo social em particular definido dinamicamente [ressalta-se: Jamais isolados ou imóveis]. A inferferência de uns sobre os outros é constante, como são permanentes os processos de evolução de cada um e dos conjuntos.”

Sistema da Economia, como expõem brilhantemente Sampaio (2007) “tem a ver com a supra-estrutura da economia, suas forças e fraquezas, o volume de produção, a renda gerada e disponível, o grau de desenvolvimento e a posição competitiva relativa de cada núcleo econômico dentro do país, do bloco, do continente e do mundo.”

Por fim, temos o Sistema do Universo Empresarial, em que o uso do Marketing depende das “dimensões e do grau de amadurecimento da estrutura empresarial de cada mercado, no geral, e da empresa ou instituição que o empregará, em particular.”

Como conseqüência direta desses sistemas, percebemos que os mercados são constituídos por quatro Camadas Competitivas [que torna ainda mais interessante a compreensão da quintessência do que conhecemos por Marketing]. É interessante pensar que agem como a estrutura da pele para o nosso corpo. Fica mais uma dica de correlações entre Marketing e formas de gestão com a Natureza, Ambiente e Organismos Vivos.

As quatro camadas, de fora para dentro são: Cultura,ComportamentoConsumo e Competitividade no seu núcleo.

Todas essas camadas recebem influências dos Ambientes não controláveis pelos gestores: Ambiente Econômico, Ambiente tecnológico, Ambiente político e legal, Ambiente demográfico e sociocultural e também o Ambiental (meio ambiente mesmo – Natureza).

Na grande maioria das vezes – quando o Marketing é ‘ensinado’ nas universidades – a metodologia segue o Kotler como livro texto, estudando seus conceitos didáticos de cada uma dasa fases e características do Marketing. Neste ponto vale uma reflexão da qual assumo toda a responsabilidade, pois é a forma como percebo a Orientação de Marketing:

Em um primeiro momento, entender marketing significa que devemos buscar a sua origem, mesmo em tempos onde os conceitos ainda não estavam formulados e, para tanto, iniciamos com as informações presentes no início deste ‘post’. Entendendo a evolução das sociedades e relacionando suas características fica muito mais fácil de compreender as influências múltiplas que se sintonizam com os conceitos mercadológicos. Os conceitos de Kotler, nesta ótica, ficam como apoio à compreensão da realidade e o Marketing deixa de ser meramente teórico para fazer parte da evolução da civilização. Não existem receitas, não existem fórmulas, mas sim desafios à inovação, à interpretação e à criatividade na implementação de idéias.

Marketing é um estado de espírito, uma mentalidade, uma forma de pensar que, necessariamente, leva a uma filosofia, uma política, um programa de ação.”
José Whitaker Penteado

Floripa na Foto 2011

By | Art, Conhecimento, Exhibition, Fine Art, Photo | One Comment

O Floripa na Foto 2011, realizado pela Duo Arte e Produção – surpreendeu positivamente em inúmeros quesitos, a começar pela Equipe de “Feras” da fotografia internacional que estiveram circulando por Floripa e revezando-se entre Palestras Gratuitas, Workshops, Leituras de Portfolios, Sessões de Autógrafos, Exposições e conversas informais nos locais dos eventos.

Foi gratificante reencontrar Amigos e ícones da Fotografia Internacional, como Clicio Barroso e Comodo, conhecer pessoalmente, pois éramos amigos no “virtual” como Alex Villegas e Fabio Elias todos estes da Fototech e, o melhor, aprender muito com todos. A próxima lista é imensa em todos os bons sentidos: Antônio Carlos Mafalda, Boris Kossoy, Claudi Carreras, Claudio Feijó, Claudio Brandão, Diógenes Moura, J.R.Ripper, Orlando Azevedo, Rosely Nakagawa, Scott MacLeay e tantos outros.

Aqui de Floripa, as ótimas prosas com Brandão, Maeda, Petra Mafalda, Edu Lyra, Maria Eduarda Bauer Cabral, Augusto Fonseca, Fabiano Augusto e a coordenação fantástica da Lu Renata e Lucila Horn com sua equipe – Parabéns “Lu’s”, foi um desafio superado!

Sempre é engrandecedora a conversa com o Gian da Editora Photos – participante do Floripa na Foto e sempre presente nos melhores eventos de Fotografia do Brasil.

Outra presença importante e gratificante reencontro foi com Caio Oliveira da Canson que ministrou palestra sobre impressões com pigmento natural em Fine Art. Este Amigo sabe muito e trará novidades para o mercado em 2012!

Não poderia deixar de ressaltar o encontro e reencontro dos membros da Fototech, tanto no evento quanto no jantar em Santo Antônio de Lisboa, reunindo Adriana Füchter, André Arcênio, Thiago Eriksson, Rodolfo Guimarães, Clicio Barroso, Edu Lyra, Alex Villegas, Eduardo Guilhon e mais uma turma!

A nostalgia no reencontro com as poltronas históricas do Cine Ritz – quanto tempo, bons tempos dos cinemas de Floripa. As lembranças das aulas “enforcadas do cursinho” para ir ao cinema que, neste evento, serviu de palco onde o conhecimento foi compartilhado.

Há muito ainda o que falar, mas fica aqui o sabor de quero mais para 2012 e a esperança de que tanto a Prefeitura de Florianópolis quanto o Governo de Santa Catarina direcionem verbas e projetos consistentes para a revitalização do Centro Histórico de Florianópolis com Arquitetura, Mobilidade e Segurança para a população. Reforço: Segurança para a População, pois Floripa está no momento uma “terra sem leis” com assaltos, extorções, ameaças, tiroteios, roubos e tantas outras formas de violência envolvendo desde menores que utilizam como armas o próprio argumento: “Sou menor, já tenho latrocínios nas costas e um a mais não fará diferença”.

É o que temos para hoje, gracie Duo Arte!!